segunda-feira, 10 de maio de 2010

Sobre Clarissa...

“É como um prisioneiro que – privado do espetáculo integral da vida, das paisagens livres e largas – se distrai com examinar detidamente os detalhes mínimos de sua cela.”

“Encosta tristemente o rosto ao muro. O portão é o limite. Além do portão está a vida com todos os seus mistérios e todos os seus encantos.”

“A impressão do beijo é tão perfeita que Clarissa sente o sangue subir-lhe às faces.”

“Ali junto do aquário uma menina morena sorri, olhos muito arregalados movendo os lábios de mansinho. Sua voz é um sussurro: parece que tem medo de magoar o silêncio.”
(Finalizando releitura de "Clarissa" - Erico Verissimo)