quinta-feira, 30 de junho de 2011

MÚLTIPLA ESCOLHA...

Leitura concluída na madrugada.
Este, MÚLTIPLA ESCOLHA
é um pouco mais sério "formal" do que o anterior,
"O Silêncio dos Amantes".
E há mais pontos com os quais não concordo.
:(
No entanto, como tudo o que li da Lya Luft até hoje,
esta é mais uma leitura aaaaaaaaaaaltamente prazerosa
e (por que não dizer?) ampliadora de horizontes!

Alguns trechinhos, para deixar o gostinho:

"No relacionamento em que se deseja um boa parceria, importa muito o aprendizado do equilibrio entre rotina e mistério, surpresa e monotonia; entender que a banalização corrói o necessário encanto. Que cada um tem sua reserva pessoal impossível de partilhar mesmo no maior amor. É preciso poder rir juntos, não um do outro. (Rir de si mesmo, sem sarcasmo, pode ser um grande alívio.)"

"Embora os personagens de minhas ficções sejam neuróticos e sofridos, e minhas crônicas nem sempre sejam otimistas, acredito que a gente pode repensar a vida, e todas as coisas que, nela, causam tamanho susto e tanto prazer, para sentir que afinal vale a pena."

"A vida é uma longa construção: em geral e enxergamos como deterioração. Não conseguimos apreciar o outro lado, que é acúmulo, experiência, serenidade, mínima sabedoria, mais tempo, quem sabe mais bondade. Construção de emoções positivas, com porões de tristezas e um sótão de decepções, mas a sala e os quartos arejados, com portas que podemos abrir para que se revele o que ainda virá em seguida e vai se desdobrar."

"Há que ter alguma coragem. Há que ter algum sonho correndo nas veias e um grão e loucura faiscando na alma. Ou apenas desejo de viver a vida em vez de ser arrastado por ela como uma criança puxa atrás de si, na poeira, um brinquedo sem graça."