quinta-feira, 7 de julho de 2011

Pausa poética...

Sabe...
Há momentos em que necessito,
absurdamente,
de uma pausa poética...
apesar de todas as controvérsias que envolvem sua história
e sua obra,
é um dos meus poetas favoritos,
há muuuuuuuuito tempo...
*
Então, minha pausa poética de hoje (L'ALBATROS):
"... Le Poète est semblable au prince des nuées
Qui hante la tempête et se rit de l'archer;
Exilé sur le sol au milieu des huées,
Ses ailes de géant l'empêchent de marcher."
*O poeta é semelhante ao príncipe da altura
Que busca a tempestade e ri da flecha no ar;
Exilado no chão, em meio à corja impura,
A asa de gigante impedem-no de andar.

Tradução completa de O ALBATROZ.