terça-feira, 17 de janeiro de 2012

O MEDO CONSOME A ALMA

Assistido ontem à noite:
O MEDO CONSOME A ALMA, de 1974,
do diretor alemão Rainer Werner Fassbinder.
Retrata, de forma bastante densa e escancarada, a discriminação sofrida por uma alemã, viúva, com 3 filhos já casados, que se apaixona e resolve casar-se com um negro, muçulmano, 20 anos mais jovem do que ela.
Trata de inveja, traição, preconceito, inadequação e, claro, muito MEDO.
Não localizei o trailer, mas esta é uma das cenas mais representativas do filme:
"A solidão, o medo, o desespero, uma angústia, uma busca pela própria identidade e o amor não correspondido são assuntos recorrentes em seus filmes. As paixões íntimas como forma de retratar uma época - conseqüências da Alemanha dos anos setenta que ainda carregava marcas do pós-guerra, da democracia recebida como compensação - e dar o testemunho de suas dificuldades econômicas, políticas, morais e sexuais são os grandes temas do cinema de Fassbinder. Nele sempre haverá um lugar essencial para uma mulher, figura que servirá para propagar diversas fórmulas de emancipação feminina e para representar a nação alemã (...)."
Mais sobre o diretor, que morreu de overdose aos 36 anos, AQUI.