quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

O único consolo: a CERTEZA da ressurreição!

*Foto tirada na Paróquia Santa Maria dos Pobres, no Paranoá,
e obtida no site do Seminário Redemptoris Mater.
*
Quando me "despedi" de vocês, no post abaixo, em plena 6a-feira de carnaval, eu tinha um monte de projetos: descansar, assistir no mínimo uns 3 filmes que estão concorrendo ao Oscar (fora os DVDs), ler bastante, visitar várias exposições de arte, comemorar o niver de uma prima...
Enfim... Muitos projetos.
Bons projetos.
Mas, como dizem as Escrituras,
"O Senhor desfaz os planos das nações"
e, da ilusão do carnaval,
fui colocada na dura, na duríssima realidade da morte...
*
Nos primeiros minutos de sábado, retornou à Casa do Pai, um irmão em Cristo e grande amigo, o Pe. Fábio de Oliveira Sousa, um verdadeiro cordeirinho (como muito bem o definiu o Pe. Juanjo, reitor do seminário que o conduziu à Ordenação Presbiteral, há mais ou menos 01 ano e 02 meses), vítima de um terrível acidente automobilístico, ocorrido na 6a-feira à tardinha, no cumprimento da missão sacerdotal: acabara de sair de uma celebração Penitencial, onde fora o instrumento de Jesus para o perdão dos pecados e o retorno de tantas almas à comunhão, à alegria e à verdadeira paz; e se dirigia ao Paranoá, onde celebraria a Missa numa das Capelas.
*
Em nós, em mim, ficou a total perplexidade diante da notícia...
E um vazio gigante em nossa equipe de catequistas,
da qual ele também fazia parte,
somente minimizada pela certeza,
A INCONTESTÁVEL CERTEZA DA RESSURREIÇÃO!
*
Porque esta é a nossa fé, a fé dos cristãos
(ou dos que, como eu, querem ser cristãos de verdade, um dia):
"Ó morte, que (...) tão dura e cruelmente, separas também os amigos! Mas teu poder já está esmagado! Teu domínio impiedoso foi aniquilado por aquele que te ameaçou com o brado de Oséias: ‘Ó morte, eu serei a tua morte!’. Nós também podemos desafiar-te com as palavras do Apóstolo: ‘Ó morte, onde está tua vitória? Onde está teu aguilhão?’.
(Das Cartas de São Bráulio de Saragoça, Bispo - Século VII)"

*Foto tirada por mim, em 29/12/11,
na inauguração da Capela São José (Paranoá).
D. Sérgio da Rocha logo atrás.
*
Pe. Fábio:
passou brevemente por nossas vidas,
deixando o suave e inconfundível aroma de Cristo!
Descanse em paz, querido irmão,
contemplando a face misericordiosa do Amado!
Interceda por nós, que ainda peregrinamos nesta terra!
Nos reencontraremos na eternidade!